É festa!

tutto3

Foto: Creative commons / Bess Georgette

Inevitáveis, desejadas e comemoradas, as festas são momentos únicos de exceção, em que queremos estar o mais próximo da perfeição estética. Por isso, para acertar e não sair da zona de conforto, precisamos sempre estar informados do dress code, seja para homens ou mulheres.

 

A regra parece pantanosa, mas é clara e concisa. Abaixo, segue o modelo mais simples e prático:
1. Traje esporte fino ou tenue de ville
Para: almoços, chás, vernissages
Uso das mulheres: tailleurs, vestidos curtos ou midi, blazers
Tecidos: algodão, sedas e microfibra.
Sapatos: preferencialmente salto alto, seja na sandália ou sapato fechado.
Acessórios: bolsas maiores e bijuterias.
Uso dos homens: blazer com calças esportivas e camisas sem gravata.
Sapatos: espotivo.
Acessórios: gravata se o cartão indicar tenue de ville.
2. Social ou Passeio Completo 
Para: jantares em geral, coquetéis, óperas, jantares dançantes e casamentos.
Uso das mulheres:vestidos longos ou curtos, com bordados, pedrarias e decotes.
Sapatos: sapatos ou sandálias com salto alto e meias de seda.
Acessórios: sofisticados, bolsas pequenas, jóias, bijuterias finas, maquiagem e penteado mais elaborados.
Uso dos homens: ternos em cores escuras, com camisa e gravata.
Sapatos: sociais e, de preferência, pretos. A meia deve combinar com o sapato ou com a cor da roupa.
Acessórios: gravata.
3. Black Tie ou Tênue de Soirée 
Ocasião: noite de gala ou bailes mais formais
Uso das mulheres: vestidos longos ou curtos requintados somente se for extremamente elaborado, com decotes, transparências e bordados em pedrarias.
Tecidos: zemberlines, tafetás de seda, shantungs, crepes, georgettes e jacquards, gaze, rendas.
Sapatos: saltos altos e finos combinados com meias finíssimas.
Acessórios: semijóias, bolsas metalizadas, echarpes, estolas, peles naturais ou sintéticas.
Usos dos homens: smoking e camisa rigor.
Sapatos: sociais e, de preferência, pretos. A meia deve combinar com o sapato ou com a cor da roupa.
Acessórios: gravata borboleta e faixa   Pretas.
Uma ressalva é que a moda atualmente é palco expressivo de individualização. Na maioria das vezes, a imaginação corre solta. Lembre-se, porém, que mesmo com toda a criatividade, quebrar regras nem sempre é uma opção segura. É possível – e fantástico – cometer algumas ousadias sem ignorar completamente os planos e sonhos do anfitrião ou anfitriã, que idealizou sua noite perfeita. Fazer parte constituinte desse sonho é um ato de respeito e consideração. Não sejamos pesadelos.

mayrinne  Eu sou Mayrinne Meira Wanderley, historiadora, mestre e doutora em Sociologia (PPGS/UFPB), com ênfase em consumo, e professora de Design de Moda do Unipê. Estou aqui para falar de roupas, moda e modismos para vocês. Um grande prazer.  Sejam sempre muito bem-vindos.